poder
e política

9|mai|20:18

O comunista no bico da tucanagem

 

Aecio Neves em SL

Flávio Dino: “Eu preciso do PSDB para ganhar esta eleição”.

João Castelo: “Vou entrar de cabeça nesta eleição”.

 

# , , , , , ,

11|abr|09:16

Castelo ‘ressurge’ com força para o Senado

castelo senado2O tucano João Castelo (PSDB) está na boa com o eleitorado. Pelo menos, é o que aponta uma pesquisa encomendada por uma entidade empresarial que o pôs na lista de candidatos ao Senado.

Sem a governadora Roseana Sarney (PMDB), Castelo aparece na frente – dentro da margem de erro – em todos os cenários da amostragem.  Foram postos no levantamento os peemedebistas Edinho Lobão e Gastão Vieira, o vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha (PSB) e os candidatos da esquerda Marcos Silva (PSTU) e Haroldo Sabóia (PSoL).

Castelo lidera em todas as simulações, principalmente nas regiões Metropolitana de São Luís e nos Cocais, com destaque para Caxias. Mas, é dele a maior rejeição entre os listados na pesquisa.

O levantamento foi feito para avaliação da entidade, que deve realizar outras duas pesquisas, após os governistas definirem seus candidatos.

A candidatura de Castelo ganhou força depois de Roseana optar por ficar no governo. Ex-governador, ex-deputado, ex-senador e ex-prefeito de São Luís, Castelo demonstra ter ainda muito capital político para usar.

Governo e PT

Os próximos levantamentos eleitorais contratados pelas legendas base do governo devem trazer os nomes de Arnaldo Melo (PMDB) e do petista Raimundo Monteiro (PT) na lista de candidatos ao Senado.

Depois de querer ser governador via eleição indireta na Assembleia, Arnaldo Melo se apresenta como pré-candidato ao Senado de parcela da base governo no Legislativo estadual.

Mesmo sem acreditar, numa possível candidatura do presidente estadual do PT, Raimundo Monteiro nas eleições deste ano, o vice-presidente da legenda Augusto Lobato abre um sorrisão quando comentam com ele essa possibilidade.

Apoiador da candidatura de Flávio Dino (PCdoB), Lobato diz que não abrirá mão de comandar o PT nas eleições, caso Monteiro seja candidato.

# , , , , , , , ,

3|fev|07:31

Helena Duailibe entende de mudança

A vereadora Helena Duailibe (PMDB) que assume hoje, às 10h, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) é o mais do mesmo. Nada de novo, no governo que se queria de mudança.

A ida de Helena Duailibe para a Semus destaca tão somente o exotismo de aliados de ocasião do governo de São Luis. Mas, no governo dirão “estamos num governo de coalisão”.

Helena Saude_ edivaldo

Helena esteve como secretária da pasta quando José Reinaldo Tavares (PSB) foi governador do estado.

Helena Dualibe Jose Reinaldo

Helena foi vice-prefeita e secretária de Saúde do governo João Castelo (PSDB). Por lá, tinha a companhia de Edivaldo Holanda, pai e filho. Na época, aliadíssimos das burras da gestão castelista.

Castelo Helena Dualibe

Hoje, às 10h, a secretaria que “mudou a Saúde” em vários governos reencontra Edivaldo Holanda, filho e pai, agora no comando das burras da Prefeitura de São Luis.

Se alguém na Prefeitura de São Luis gostar de música e de Gilberto Gil, usem como trilha sonora da posse da nova secretária de Saúde a canção: O Eterno Deus Mu Dança.

DESAVISO: O empresário Paulo Braide, da Mercúrio, e o seu compadre Edmar Cutrim, presidente do TCE, pouco gostaram da mudança da Saúde no governo da mudança.

Leia no Blog do Ed Wilson: Helena Duailibe na saúde: aparência e essência na ocupação de cargos

# , , , , , , , , ,

14|ago|07:06

CPI do Bom Peixe revela as ‘mãos’ de Castelo no desvio de recursos

castelo8O relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Municipal para apurar irregularidades na execução do Programa Bom Peixe, aponta que houve irregularidades. Os desvios de recursos do programa passaram pelas mãos do ex-prefeito João Castelo (PSDB).

Além de Castelo a CPI apontou ainda como responsáveis os secretários de Agricultura e Abastecimento (Semapa), Júlio França (PDT), Eliana Bezerra e Edmilson de Sousa Lindoso.

Segundo o relatório final da CPI, foi identificado como irregular o tipo de execução de despesas que eram feitas por meio de ofício para o Banco do Brasil. Isso ocorreu quando o secretário adjunto da Semfaz assinou ofício de pagamento no valor de R$ 450 mil, mesmo o titular da pasta estando em São Luís.

Um relatório da Corregedoria Geral do Município (CGM) que foi encaminhado a CPI do Bom Peixe, anotava que o retorno financeiro para a Prefeitura de São Luís seria de R$ 1,2 milhão segundo o projeto elaborado pelo então secretário Júlio França, porém foi encontrado apenas R$ 209 mil numa conta da Secretaria Municipal de Fazenda (Semfaz). O governo Castelo alocou R$ 4 milhões no programa.

A CGM apontou ainda desvios da ordem de R$ 1,7 milhão e, a existência de um “Caixa 2″ na Semapa.

Os membros da CPI concluíram que os responsáveis pelas irregularidades no programa seriam denunciados por crime de improbidade administrativa o ex-prefeito João Castelo, acusado de ter autorizado por telefone o pagamento de R$ 450 mil a empresa Pacific; os ex-secretários da Semapa Júlio França, que elaborou e executou o projeto, Edmilson de Sousa, que diz não ter pagado mais de R$ 800 mil quando ficou como titular da Semapa; Eliana Bezerra, que também comandou a pasta, e Aurélio Ribeiro Oliveira, ex-coordenador de Mercados.

# , , , , , , , , ,

19|dez|09:11

Governo Castelo movimentou R$ 39,3 milhões da conta do Fundeb em operações suspeitas

O Ministério Público Federal (MPF) recebeu um relatório que aponta que a Prefeitura de São Luís movimentou R$ 39,3 milhões de recursos da conta do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) em operações suspeitas. A prefeitura da capital teve a contas do Fundeb monitorada nos meses de outubro e novembro.

Aproximadamente 30% das prefeituras no estado tiveram as contas do Fundeb monitoradas nos últimos dois meses. Os órgãos de controle e fiscalização federais detectaram a movimentação de R$ 100,7 milhões em operações suspeitas em contas de prefeituras maranhenses.

Os R$ 39,3 milhões que saiu da conta Fundeb da Prefeitura de São Luís tiveram movimentações identificadas por rubricas genéricas: transferências, pagamento a fornecedores e pagamentos diversos. O relatório em posse do MPF não identifica o destino do dinheiro.

Somente para pagamentos diversos foram movimentados R$ 30 milhões pela Prefeitura de São Luís entre outubro e novembro.

Somados os meses de outubro e novembro a Prefeitura de São Luís recebeu R$ 34,3 milhões de recursos do Fundeb, mas o relatório que o governo municipal movimentou cerca de R$ 5 milhões a mais.

FUNDEB outubro:

FUNDEB novembro:

# , , , , , , , ,

18|dez|16:47

Castelo altera Plano Diretor e Zoneamento ao apagar das luzes

Outra vez sem audiência pública. Sem participação popular. Sem ouvir o Conselho da Cidade. Sem nenhuma transparência o prefeito tucano João Castelo (PSDB) enviou para a Câmara Municipal projeto de lei que altera a Lei de Zoneamento Uso e Ocupação do Solo de São Luís.

Dentre as pérolas da nova legislação estão edifícios de 20 andares nas áreas residenciais. A bancada castelista na Câmara de Vereadores pretende aprovar tudo amanhã (dia 19), sem audiência pública e sem transparência.

De acordo com a lei nº 10.257/2001, no seu artigo 52 constitui ato de improbidade administrativa, com as consequências da lei nº 8.429/1992 (perda dos direitos políticos) VII – impedir ou deixar de garantir os requisitos contidos nos incisos I a III do §4º do art.40 desta Lei. Os quais informam:

Art. 40. O plano diretor, aprovado por lei municipal, é o instrumento básico da política de desenvolvimento e expansão urbana.

§ 1o O plano diretor é parte integrante do processo de planejamento municipal, devendo o plano plurianual, as diretrizes orçamentárias e o orçamento anual incorporar as diretrizes e as prioridades nele contidas.

§ 2o O plano diretor deverá englobar o território do Município como um todo.

§ 3o A lei que instituir o plano diretor deverá ser revista, pelo menos, a cada dez anos.

§ 4o No processo de elaboração do plano diretor e na fiscalização de sua implementação, os Poderes Legislativo e Executivo municipais garantirão:

I – a promoção de audiências públicas e debates com a participação da população e de associações representativas dos vários segmentos da comunidade;

II – a publicidade quanto aos documentos e informações produzidos;

III – o acesso de qualquer interessado aos documentos e informações produzidos

O prefeito João Castelo já descumpriu essa norma. Será que os vereadores também colocarão seus direitos políticos em risco?

Em Natal (RN), situação semelhante, fez quase a Câmara inteira perder o mandato.

DESAVISO: A quem se interessar posso enviar a cópia do Projeto de Lei, a Justificativa do projeto e Mensagem do prefeito para Câmara de Vereadores.

# , , , , , , ,
Página 1 de 1312345...10...Última »
>>>>>>>>

Copyright © Itevaldo Jr - Todos os direitos reservados
| Login »